Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

POPULAÇÃO DA ÍNDIA VAI ULTRAPASSAR A DA CHINA EM 2022

Mäyjo, 30.09.17

populacao_SAPO

A China é, atualmente, o país mais populoso do mundo, mas há outra nação que está no seu encalço e dentro de poucos anos tornar-se-á no país com mais habitantes no planeta: a Índia. De acordo com os dados mais recentes da Organização das Nações Unidas (ONU), a Índia deverá ultrapassar a China em número de habitantes já em 2022.

 

Segundo o “Revision of World Population Prospects”, relatório que compilou os resultados do 24º estudo demográfico realizado pelas Nações Unidas, a Índia e a China são os dois países onde se concentra 37% dos 7,3 milhões de pessoas que habitam actualmente o planeta. Destes 37%, 19% são chineses e 18% são indianos.

Além de contabilizar o número de habitantes do planeta, o relatório prevê ainda o que vai acontecer à população mundial caso continue a evoluir ao ritmo actual. As estimativas da ONU apontam para que, em 2030, existam 8,5 mil milhões de pessoas na Terra. Em 2050 o número aumentará para os 9,7 mil milhões e, na entrada do próximo século, em 2100, as Nações Unidas prevêem que o mundo atinja os 11 mil milhões de habitantes, escreve o Guardian.

Depois da China e da Índia, o terceiro país mais populoso do mundo são os Estados Unidos, com cerca de 321,774 milhões de pessoas. Mas a ONU também antevê que este cenário se altere em 2022, pois a Nigéria – que agora tem a sétima população mais vasta do planeta – deverá ultrapassar os Estados Unidos.

É em África, aliás, que as Nações Unidas esperam que aconteça o grande crescimento populacional dos próximos anos. “A maioria do aumento projectado para a população mundial pode ser atribuído a uma pequena lista de países com elevada taxa de fertilidade, sobretudo em África”, lê-se no relatório. Até 2050, a ONU prevê que metade do aumento populacional se concentre num grupo de nove países – Índia, Nigéria, Paquistão, República Democrática do Congo, Etiópia, Tanzânia, Estados Unidos da América, Indonésia e Uganda.

Deste grupo de nações, a Nigéria, Paquistão e Indonésia deverão juntar-se, em 2050, à Índia, China e Estados Unidos como os países onde habitam mais de 300 milhões de pessoas.

Foto: James Cridland / Creative Commons

Visto de Cima

Mäyjo, 26.09.16

Shivaji Nagar No: 1 and No: 2

Mumbai, India

19.061699428°, 72.927082280°

 

8643e410-9a9b-41e2-a6d1-829b9a99ee61.jpg

Shivaji Nagar No: 1 e Não: 2 são dois bairros densamente povoados em Mumbai, na Índia.

A área é o lar de mais de 200.000 habitantes, principalmente imigrantes de Uttar Pradesh e Bihar (localizados no Leste e Norte da Índia, respetivamente), bem como do Bangladesh, que têm vindo para Mumbai em busca de uma vida melhor.

A grande maioria das casas aqui não tem saneamento, água canalizada, banheiras, sanita.

VAI UMA COCA-COLA?

Mäyjo, 13.09.16

SE TIVER SIDO FEITA NA ÍNDIA, TALVEZ SEJA MELHOR RECUSAR...

coca-cola

Sob investigação pelo Tribunal Ambiental da Índia desde 2015, a fábrica da Coca-Cola em Hapur, Nova Deli, viu agora as suas portas serem encerradas devido ao incumprimento de várias leis ambientais em vigor na Índia e por operar sem as devidas licenças.

As falhas que levaram ao fecho da fábrica da gigante mundial eram já do conhecimento público desde 2003. Durante anos, a empresa foi sendo alertada continuamente para as visíveis falhas ambientais da fábrica, recebendo inclusive pré-avisos de inspecções, com poucos efeitos práticos.

Nos autos agora levantados estavam descritas inúmeras falhas: falta de licenças válidas em 2016 e 2015, as estações de tratamento de efluentes na fábrica não funcionavam ou estavam em más condições, e eram feitas descargas de águas residuais numa lagoa a 1,5km da fábrica que tinha falhas estruturais. Também era prática comum o uso da água da lagoa para irrigação, sabendo-se agora que esta não tinha condições, com níveis de bactérias 3400 vezes superiores à norma; as caldeiras e os geradores de diesel desrespeitavam todas as leis de poluição do ar… Enfim, um sem número de violações graves.

Estas descobertas levaram o organismo responsável a recomendar, ainda em 2015, que a linha de produção da fábrica fosse encerrada, uma vez que o lixo orgânico de alta resistência não estava a ser tratado adequadamente. Para a CPCB é também aconselhável a criação de mecanismos alternativos para o tratamento da água que abastece os moradores da região, contaminada pelos esgotos não tratados da fábrica.

Todas as falhas e violações de segurança agora encontradas na fábrica da Coca-Cola não foram propriamente uma surpresa para a CPCB, com a gigante de bebidas a ser tida como uma habitual infractora das normas ambientais na Índia em 2003, 2005 e 2007.

“A arrogância e incompetência desta empresa é inacreditável”, disse Amit Srivastava, da associação India Resource Center. “Recebeu vários avisos para repensar a sua conduta, mas recusou-se a fazê-lo na Índia e continua a operar sem as licenças necessárias. A fábrica devia ser fechada de vez e o governo deveria obrigar a empresa a indemnizar a comunidade que irá suportar o impacto da poluição da Coca-Cola por muito tempo “, concluiu.

Foto: Rafael Salmazzi